quinta-feira, 14 de julho de 2011

Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 1


Título Original: Harry Potter and the Deathly Hallows part 1
Ano: 2010
Produção: EUA / Reino Unido
Idioma: Inglês
Direção: David Yates
Elenco: Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint, Alan Rickman, Tom Felton, Helena Bonham Carter, BIll Nighy, Jason Isaacs, Ralph Fiennes
Duração: 146 min

O complicado é falar sobre um filme sem final. Onde todos esperam demais, acabam vendo na telona mais da metade (bem mais) do livro e conteúdo relevante mesmo acaba não encontrando.Parte 1 é o primeiro bom filme desde o Prisioneiro de Azkaban. Ouso dizer que apenas pelo fato de ter sido dividido em duas partes, já que um final de saga ruim, decepcionaria não só fãs, como a própria autora. Vamos ao nosso resumo:

O filme começa com o pronunciamento do "novo" ministro da magia (ele assumiu no ano anterior, na verdade), Rufus Scrimgeour, tentando acalmar o povo, dizendo que mesmo com a volta de Voldemort, o ministério continua forte e lutando. Vemos então uma cena que não tem no livro: Hermione enfeitiçando os pais para apagá-la da memória deles para a melhor segurança dos 3. Vemos uma breve despedida de Harry com os Dursley (cena que merecia melhor destaque, na minha opinião) e Rony, na Toca, aguardando seus amigos para o casamento de Gui e Fleur. Vemos o ministro chegar na Toca para entregar ao trio as "heranças" do testamento de Dumbledore. No casamento as coisas explodem. O ministro da magia é assassinado e os comensais tomam posse do ministério. Começa então a fuga do trio protagonista. Decidem para a casa de Sirius onde descobrem a identidade de R.A.B e por sorte descobrem a localização do medalhão-horcrux. Invadem o ministério a procura de Umbridge, roubam o medalhão e fogem com segurança, a não ser o comprometimento da casa de Sirius e uma falha de aparatação que fere o braço de Rony. Sem o menor conhecimento, tanto de como destruir a única horcrux que possuem quanto de encontrar outras, Harry acaba deixando Rony nervoso, que acaba abandonando os amigos na floresta. Harry e Hermione seguem tentando descobrir mais coisas. Uma visita à Godric's Hollow acaba saindo pela culatra onde Nagini já esperava por Harry. Certa noite, sem a menor explicação, Harry avista um patrono, o segue e encontra a espada de Gryffindor, artefato capaz de destruir horcrux. Quase perde sua vida mais uma vez ao mergulhar num lago congelado com o medalhão o impedindo de subir a superfície. Rony o salva e juntos destroem a horcrux. Os 3, então, decidem visitar Lovegood para melhor esclarecimento sobre um símbolo que os incomoda. O pai de luna os explica sobre as Relíquias da Morte e acompanhamos a impecável animação do Conto dos Três Irmãos. Ao serem capturados por raptores de fugitivos, Harry é reconhecido e são levados prisioneiros à mansão dos Malfoy. Eles encontram Luna, Gryphook e Olivaras também prisioneiros e após uma breve luta, Dobby os salva levando-os para o Chalé das Conchas, casa de Gui e Fleur. O filme termina com Voldemort dando fim a sua busca pela Varinha Mestra.

Um filme meio paradão e meio agitado. Assistindo-o, você se vê quase como durmindo-acordado-durmindo-acordado, já que as cenas paradas são muito paradas e a cenas de ação são extremas. Mas isso não é ruim no filme. É exatamente o que sentimos lendo o livro. Pensamos: "Que saco! Onde isso vai dar, meu Deus?!" A diferença é que no  livro, dá em algum lugar. Ver um filme terminando "do nada" é realmente incomodante. Mas, então, o que faz o filme ser bom? Simples. A divisão em partes deu espaço pro roteiro crescer e a direção ficar mais livre. Por isso existem ótimas cenas inventadas como a de Harry e Hermione, onde muitos pensaram que ia rolar alguma coisa entre os dois ali.

A despedida de Harry e os Dursley merecia mais atenção porque vemos uma "família" que sempre se odiou demostrar um pouco de compaixão e carinho. Petúnia contemplando sua casa vazia e lembrando de sua irmã ao falar para Harry: "Você não perdeu só sua mãe aquela noite. Eu perdi uma irmã." e Duda se recusando a entrar no carro se não fosse desejar algo de bom pro primo são cenas extremamente emocionantes. Se você já possui o DVD do filme você pode ver essas cenas excluídas do filme. Em suma, este é um filme emocionante.

O grande destaque é o relacionamento dos 3, já não crianças, aprendendo a lidar um com o outro fora de casa, fora do aconchego de um castelo quentinho e comida na mesa. Os conflitos aumentam chegando a quase uma inimizade entre Harry e Rony, que se destaca esplendorosamente no filme. Precisávamos de um pouco de comédia no filme e a encontramos facilmente com a história da "bolinha de luz atravessando meu peito".

Outra cena emocionante é a de Harry dançando com Hermione, onde a amizade continua e nos faz voltar aqueles belos elogios que Mione fez a Harry no primeiro filme, antes dele enfrentar Quirrel.

Não podemos deixar de fora a bela animação do Conto dos Três Irmãos. Uma cena onde eu simplesmente não li a legenda no cinema. Fiquei apenas olhando pra tela de tão boa que é a animação. Digna de um prêmio.

O filme (como todos) não deixa de ter suas falhas. A maior de todas pra mim é eles passarem pela casa de Lovegood e esquecerem completamente o busto de Ravenclaw (Corvinal) e o papo sobre seus artefatos. Algo que pode fazer falta em certas explicações para o último filme.
Uma outra falha, que não é bem uma propriamente dita, mas é mais um lamento da minha parte é o simples encaixar de Dobby no filme. Sim, nós temos um herói perfeito e uma grande homenagem e honra ao personagem (que inclusive teve que sair da computação gráfica e ganhar vida por um ator). Mas, acontece que não é o mesmo personagem. 5 filmes após a sua apresentação, nós vemos o mesmo frágil elfo doméstico com sua fronha encardida. Isso me irritou um pouco, já que Dobby é um elfo livre e pra quem não leu o livro e não sabe, ele passa a usar roupas, meias e sapatos de "gente normal". O filme perde uma grande caricatura neste ponto.

Concluindo, a grande incógnita no filme é Severus Snape. Ainda vamos acompanhar mais alguns sentimentos controversos em relação a esse cara no próximo filme. Enquanto isso, aguardamos ao Epic Gran Finale mais esperado da última década. Desejo à todos uma boa estreia, bom filme e nada de choro ein? hehehe

Fique com o trailer da parte 1 e em seguida, o da parte 2 já de uma vez.




Nome do Autor

Sobre o autor

Leo Jansen
Músico, Artista, Carioca, Daltônico, Nômade, Ex-cabeludo, Seminarista, Bloguero do Barco a Remo e é claro, Cinéfilo. Perfil Completo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário