sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Amor à Toda Prova

Título Original: Crazy, Stupid, Love
Ano: 2011
País: EUA
Idioma: Inglês
Direção: Glenn Ficarra, John Requa
Elenco: Steve Carell, Juliane Moore, Emma Stone, Ryan Gosling, Marisa Tomei, Kevin Bacon
Duração: 118 minutos

Roubando da capa do filme: Isto é o que uma grande comédia deveria ser. Um lindo retrato de vida, amor e tudo neste meio.
Uma outra ótima definição que vi deste filme foi: "Uma comédia romântica para homens" hahaha. E é exatamente isso!
Antes de mais nada: Steve Carell e Juliane Moore. (period)
Isso já define o filme e faz com que você o assista.

Cal e Emily são casados há 20 anos. Bem naquela época em que o casamento é do jeito que você imagina: Chato pra casseta. Até que Emily, não resistindo mais, solta a bomba: Transou com um cara do trabalho. Isso é o suficiente para Cal se divorciar do amor da sua vida e detonar completamente sua vida. É aí que Cal conhece Jacob, um dos maiores figurões e pegadores da cidade. Jacob entra numa jornada, então, de transformar um quarentão que só teve uma mulher na vida em um sedutor confiante e poderoso. Com uma nova vida, Cal parte para reconquistar sua alma gêmea.

Agora você deve estar rindo só de pensar. Mas o filme não é apenas engraçado e consegue ser uma comédia romântica boa, já que ultimamente não consigo ter nem coragem de entrar no cinema ou alugar qualquer filme do gênero. Quando fui assistir esse filme com minha irmã no cinema, paramos lá em frente aos monitores e estávamos entre um nacional e este, pois eram onde os horários se encaixavam melhor. Foi meio que na sorte e falamos algo como: "Pelo menos vamos dar umas risadas".

Só que o filme consegue ir além e nos surpreender. Esqueça aquele Steve Carell escrachado que você conhece. No filme, nós vemos uma parte tão dramática dele que é isso o que torna o filme engraçado. É uma comédia brutal e negra. O cara tá na maior deprê e você tá se acabando de rir da cara dele!

Os coadjuvantes do filme também são muito bons. O filho de Cal se apaixona pela babá que, por sua vez, é apaixonada por Cal e vê no divórcio, uma chance de conquistá-lo. Vemos também o garanhão Jacob se prender em uma garota e não desejar mais sua vida de pegador. É lógico que isso é mais uma daquelas coisas de filme que no final tudo se junta e a gente se diverte demais.

A participação de Kevin Bacon é bem leve, apagada mesmo. Já Marisa Tomei tira algumas gargalhadas nossas. Gosto muito dela e ela está demais no filme.

Não podemos deixar de fora a escalação mais surpreendente do filme. Nunca vi uma comédia com Juliane Moore e gostei de ver ela trabalhar no gênero, ainda mais nesse humor negro já que o negócio dela é chorar mesmo. Ela rouba a cena e nos traz a melhor fala do filme:
"Lembra quando te falei que ia trabalhar até tarde? Na verdade eu fui ver o novo filme da saga Crepúsculo sozinha. É ruim demais!"

Esses filmes sempre nos trazem suas fortes mensagens para pararmos e pensar. O filme consegue te fazer pensar durante a exibição, o que é uma coisa difícil. Inclusive nos deixa emocionados em uma cena linda onde Cal invade a própria casa só para olhar os filhos por um tempo e Emily resolve ligar para ele e ele está ali, vendo tudo. Não vou contar mais pra não estragar a surpresa. Recomendo à todos, é realmente um filme ótimo.

Fique com o trailer, onde você pode verificar a magnífica fala de Juliane Moore:


Nome do Autor

Sobre o autor

Leo Jansen
Músico, Artista, Carioca, Daltônico, Nômade, Ex-cabeludo, Seminarista, Bloguero do Barco a Remo e é claro, Cinéfilo. Perfil Completo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário