segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

O Artista

Título Original: The Artist
Ano: 2011
Produção: França e Bélgica
Idioma: Inglês
Direção: Michel Hazanavicius
Elenco: Jean Dujardin, Bérénice Bejo, John Goodman, James Cromwell
Duração: 100 minutos

O quê esperar de um filme sem cores e sem fala produzido em pleno século 21?? É "oito ou oitenta". Ou você não vai ter nenhum interesse ou vai (assim como eu) ficar louco pra assistir! A polêmica que rodou em torno de O Artista foi exatamente esta. O que levaria uma pessoa de volta ao passado à uma sessão nostálgica, sendo que ela pode pagar quase a mesma coisa pra assistir um filme em 3D? Qual reação ele geraria nas pessoas? A resposta é simples: Cinema é formado por histórias e estórias. O que importa num filme é o que ele conta e não o recurso usado para contar.
A história do filme se dá por um ator de cinema (mudo, na época) muito famoso que se vê encurralado na época onde acontece a transição do cinema mudo para o falado. Sem acreditar nas possibilidades, ele desdenha a nova tecnologia e se demite para abrir a própria produtora e fazer seus próprios filmes mudos,como ele gosta. Esperando que o público fosse se manter fiel, o orgulho o leva ao fracasso e ele se vê numa vida miserável e sem chances para continuar fazendo o que ama.

Essa teimosia e resistência do ator nos lembra outro personagem famoso da nossa história. O filme fica claro ao chegar no final (a surpresa é excelente e muito bem feita) que foi baseado em Charles Chaplin, o rei do cinema mudo e preto e branco. O filme não se baseia na vida de Chaplin, é claro, mas a inspiração é muito forte.

O filme nos mostra um pedaço da história do cinema e quem gosta de conhecer, vai gostar do filme.
Tem umas surpresas que não dá pra contar, mas vai o destaque, por incrível que pareça, para o cachorrinho Uggie, que realmente dá um show no filme e roubou cena ao "segurar" um dos Globos de Ouro premiados ao filme.

Eu sei que é cansativo e às vezes até chato parar pra ver um filme desse tipo. Mas O Artista vale a pena. Vale a pena se você é apreciador da história e de uma boa estória. Fique com o trailer e logo após um bônus nostálgico muito saudoso.


Indicações:
Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro Original, Melhor trilha sonora original, Melhor fotografia, Melhor figurino, Melhor direção de arte e Melhor montagem.
10 no total. Mole de ganhar Montagem. Também tô apostando em Roteiro e Direção. Atriz Coadjuvante já não sei muito não, mas não me surpreenderei se ela levar.


Bônus: Na mesma época, Charles Chaplin se recusava a falar em seus filmes. A crítica fica na fala do gerente do estabelecimento: "Ou canta ou rua!". Sem saber o que fazer, Chaplin canta uma música sem palavras. Apenas sons distintos que não significam nada, apenas o que estava no coração do mestre:

Nome do Autor

Sobre o autor

Leo Jansen
Músico, Artista, Carioca, Daltônico, Nômade, Ex-cabeludo, Seminarista, Bloguero do Barco a Remo e é claro, Cinéfilo. Perfil Completo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário